MTA: Outubro 2018

ALMADA, TERRA DE TEATRO!


22ª Mostra de Teatro de Almada

ALMADA é com toda a certeza TERRA de TEATRO. Se o Festival de Almada é prova bastante da vitalidade da atividade teatral do concelho, certo é, também, que os muitos grupos de teatro de Almada que se mantêm há vários anos a trabalhar, mostrando o que fazem e do que são feitos, também são reveladores do imenso interesse que esta arte granjeia entre nós.
A Mostra de Teatro de Almada, que vai este ano para a sua 22ª edição, é, como é de todos sabido, uma iniciativa que a Câmara Municipal organiza com os Grupos de Teatro participantes.
Meses antes do seu início, escolhem-se e decoram-se textos, ensaia-se com o pensamento na intensidade que se deverá dar às palavras, define-se a movimentação em cena, fazem-se desenhos de luz e escolhem-se os melhores sons que hão-de acompanhar as peças, constroem-se cenários, desenham-se figurinos, preparam-se adereços, montam-se espaços cénicos e cria-se, enfim, ILUSÃO.
Chegado o momento, actores e público, numa só respiração, acrescentam sentidos a cada récita e, deste modo, ampliam formas de estar e de ser e contribuem para um mundo diferente, mais pleno e mais rico, no fundo, melhor.
Na vitrine onde a 22ª Mostra de Teatro se expõe ressalta a diversidade:  Heiner Müller, Bertolt Brecht, Beckett, Natália Correia, Marina Carr, António Mauriz, Patrick Süskind, Alberto Luengo mas também Paulo Sacaldassy, Fernando Fitas e Blaise Cendrars entre muitos outros fazem antever a riqueza daquilo a que será possível assistir.
Também este ano, se poderá, então, contar com um programa muito diversificado que terá na mira os mais diferentes públicos, e que contemplará ainda, pela riqueza que lhe trazem, os já habituais espaços de formação, de debate e de convívio entre público e artistas.
Aos 22 grupos participantes caberá a confirmação da multiplicidade de escolhas, entre diferentes estéticas e géneros, bem como a responsabilidade de continuar a fazer de Almada, espaço de artes e cultura, a terra onde o teatro se sente definitivamente em casa.

22ª Mostra de Teatro de Almada / 2018


CALENDÁRIO

ESPETÁCULOS

2 NOVEMBRO | SEXTA | 21H30
AUDITÓRIO FERNANDO LOPES-GRAÇA
ACTOS URBANOS
CRIAÇÃO | M/16 | 70’
DE SARAH ADAMOPOULOS | encenação: Joana Sabala  

3 NOVEMBRO | SÁBADO | 16H00
TEATRO-ESTÚDIO ANTÓNIO ASSUNÇÃO
Teatro extremo
Dois Reis e um SONO | M/6 | 75’
de Natália Correia e Manuel Lima

3 NOVEMBRO | SÁBADO | 21H30
Teatro Municipal Joaquim Benite – sala de ensaios
ARTES E ENGENHOS
A MORTE NOS OLHOS | M/16 | 70’ | ESTREIA
de Alexandre Pieroni calado e joão ferro martins com carlota lagido

6 NOVEMBRO | Terça-feira |22H00
PÁTIO DO PRIOR DO CRATO
O Grito
Sementeira | M/12 | 75’
DE FERNANDO FITAS

7 NOVEMBRO | Quarta-feira | 21H30
AUDITÓRIO DA COSTA DA CAPARICA
Teatro da Gandaia
O Segredo De Quem Somos | M/10 | 50’
DE CHRISTIANE DE MACEDO

8 NOVEMBRO | QUINTA-FEIRA | 21H30
TEATRO-ESTÚDIO ANTÓNIO ASSUNÇÃO
Teatro Ubu
Ilha do Sumiço | TODOS | 45’
DE FRANCISCO SILVA, RUI SILVARES E ANA NAVE

9 NOVEMBRO | SEXTA-FEIRA | 21H30
CINETEATRO DA ACADEMIA ALMADENSE
Alpha Teatro
GODET...GODOT...GODIN...
...ou lá como ele se chama! | M/16| 60’ ESTREIA
A PARTIR DE “À ESPERA DE GODOT” DE SAMUEL BECKET

9 NOVEMBRO | SEXTA-FEIRA | 21H00
10 NOVEMBRO | SÁBADO | 21H00
11 NOVEMBRO | DOMINGO | 16H00
RECREIOS DESPORTIVOS DA TRAFARIA
Ninho de Víboras
Fazer Uma FogueirA | M/6 | 180’ (tem intervalo)
DE ALBERTO LUENGO (segundo jack london)


10 NOVEMBRO | SÁBADO | 19H00
PONTO DE ENCONTRO – CASA MUNICIPAL DA JUVENTUDE
Marina Nabais Dança, associação cultural
NO | M/5 | 50’
CRIAÇÃO COLETIVA

10 NOVEMBRO | SÁBADO | 21H00
SALÃO DE FESTAS DA INCRÍVEL ALMADENSE
CÉNICO DA INCRÍVEL ALMADENSE
Um Minuto Antes De Dizer Adeus | M/12 | 50’
DE PAULO SACALDASSY

10 NOVEMBRO | SÁBADO | 22H15
TEATRO-ESTÚDIO ANTÓNIO ASSUNÇÃO
A LAGARTO AMARELO – Associação Cultural
O Contrabaixo | M/12 | 70’ ESTREIA
DE PATRICK SüSKIND

11 NOVEMBRO | DOMINGO | 11H00
SALÃO DE FESTAS DA INCRÍVEL ALMADENSE
CÉNICO DA INCRÍVEL ALMADENSE
A Biblioteca Encantada | M/3 | 40’
DE IRÍS PITACAS

11 NOVEMBRO | DOMINGO | 16H30
CINETEATRO DA ACADEMIA ALMADENSE
EmbalArte
As Voltas Que A Terra Dá | TODOS Recomendado 6 meses aos 5 anos | aprox. 30’
DE ÂNGELA RIBEIRO E SUSANA ROSENDO

11 NOVEMBRO | DOMINGO | 18H00
TEATRO-ESTÚDIO ANTÓNIO ASSUNÇÃO
GRUPO DE TEATRO DA ACADEMIA ALMADENSE
A Teia | M/12 | 60’ ESTREIA
CRIAÇÃO COLETIVA

11 NOVEMBRO | DOMINGO | 19H00
AUDITÓRIO FERNANDO LOPES-GRAÇA
O OUTRO LADO
Pântano | M/12 | 90’ ESTREIA
DE MARINA CARR

11 NOVEMBRO | DOMINGO | 21H00
AUDITÓRIO DA ASSOCIAÇÃO CULTURAL MANUEL DA FONSECA
ASSOCIAÇÃO CULTURAL MANUEL DA FONSECA
Crónicas Anacrónicas | M/12 | 60’ ESTREIA
DE ASSOCIAÇÃO CULTURAL MANUEL DA FONSECA – CRIAÇÃO COLETIVA

13 NOVEMBRO | TERÇA-FEIRA | 21H30
CINETEATRO DA ACADEMIA ALMADENSE
TEATRO DA GANDAIA
O Segredo de quem Somos | M/10 | 50’
DE Christiane de Macedo

14 NOVEMBRO | QUARTA-FEIRA | 21H30
TEATRO-ESTÚDIO ANTÓNIO ASSUNÇÃO
NOVO NÚCLEO TEATRO, FCT
Horácio | M/12 | 60’ ESTREIA
Centrado no mito de Horácio
a partir dos textos: “O Horácio”, Heiner Müller, “Os horácios e os curiácios”, Bertolt Brecht, “Horácio”, Pierre Corneille

15 NOVEMBRO | QUINTA-FEIRA| 10H30 e 11H30
AUDITÓRIO FERNANDO LOPES-GRAÇA
TEATRO ABC.PI – Associação Cultural
ÀS CRIANÇAS | M/3 | 37’
DE BLAISE CENDRARS

16 NOVEMBRO | SEXTA-FEIRA| 21h00
AUDITÓRIO FERNANDO LOPES-GRAÇA
PRODUÇÕES ACIDENTAIS
A Minha Europa / My Europe | M/12 | 80’
DE COLIN GINKS e ISABEL MÕES

16 NOVEMBRO | SEXTA-FEIRA | 22h30
TEATRO-ESTÚDIO ANTÓNIO ASSUNÇÃO
ARTES E ENGENHOS
Migrações – Título Provisório | M/16 | 65’
DE SANDRA HUNG, ARTES E ENGENHOS

17 NOVEMBRO | SÁBADO| 21H00
AUDITÓRIO DA ASSOCIAÇÃO CULTURAL MANUEL DA FONSECA
ASSOCIAÇÃO CULTURAL MANUEL DA FONSECA
Romeu Correia, Talvez Poeta | M/12 | 90’ (TEM INTERVALO)
DE GRUPO DE TEATRO DA ASSOCIAÇÂO CULTURAL MANUEL DA FONSECA – CRIAÇÃO COLETIVA

18 NOVEMBRO | DOMINGO| 16H00
TEATRO-ESTÚDIO ANTÓNIO ASSUNÇÃO
Teatro & Teatro – Associação Cultural o Mundo do Espectáculo
O Trem Das Treze (e Treze) | M/12 | 60’ ESTREIA
DE ANTÓNIO MAURIZ

18 NOVEMBRO | DOMINGO| 16H00
AUDITÓRIO FERNANDO LOPES-GRAÇA 
COMPANHIA DE TEATRO MUSICAL DA PLATEIAS D’ARTE
Sonhos – Um Clássico Encantado | M/3 | 60’ ESTREIA
ADAPTAÇÃO DE DIOGO NOVO E SARA CASTANHEIRA inspirado nos CONTOS dos IRMÃOS GRIMM

18 NOVEMBRO | DOMINGO | 21H00
RECREIOS DESPORTIVOS DA TRAFARIA
GITT – Grupo de Iniciação Teatral da Trafaria
Três Bicas e um Carioca de Limão | M/12 | 50’ ESTREIA
DE XICO BRAGA

22ª Mostra de Teatro de Almada / 2018

ATIVIDADES COMPLEMENTARES

MOSTRA.DESFILE
1 NOVEMBRO | QUINTA-FEIRA 11H00
Ponto de encontro PRAÇA DA LIBERDADE. O desfile termina no PARQUE DA PAZ.
Desfile dos grupos participantes ao som da Almada Street Band

MOSTRA.EXPOSIÇÕES
Com o propósito de entrecruzar linguagens artísticas, o Teatro Extremo, em parceria com o projeto Cidadão Exemplar (Rui Silvares, Luís Miranda e José Julião), promove no foyer do Teatro-Estúdio António Assunção (TEAA) um espaço de exposições de artistas plásticos.

DAQUI ATÉ AO PALCO | PAULO NUNES | FOTOGRAFIA
2 NOVEMBRO | SEXTA-FEIRA  14H30-17H30 / 20H-23H
3 NOVEMBRO | SÁBADO | 14H30-17H30 / 22H30-01H
TEATRO-ESTÚDIO ANTÓNIO ASSUNÇÃO

Daqui até ao palco desvenda o que está por detrás de um espetáculo de teatro do GITT. Um conjunto de imagens que fazem parte dos ensaios fotográficos, iniciados em 2012 com o espetáculo Origens, que visam o registo do processo de construção dos vários espetáculos realizados pelo GITT. O trabalho árduo, o sacrifício pessoal, o cansaço, a alegria, o humor, a cumplicidade, o sonho, o amor, em suma, tudo o que nos faz seres humanos, está presente e é ingrediente essencial para a concretização da ideia original, que é a semente. Na maioria das vezes somos apenas confrontados com a árvore − o resultado final, o resto fica só na memória de alguns.

ELOGIO DA LUZ | FRANCISCO PALMA | PINTURA
INAUGURAÇÃO 9 NOVEMBRO | 18H00
9 NOVEMBRO A 18 NOVEMBRO | QUARTA-FEIRA A SÁBADO 14H30-17H30
E DURANTE A PROGRAMAÇÃO DA MOSTRA NO TEAA
TEATRO-ESTÚDIO ANTÓNIO ASSUNÇÃO

O que se propõe é refletir sobre o índice e a noção de temporalidade das imagens, apresentadas, por vezes, em sequência/instalação de “fotogramas”, sem qualquer pretensão de sentido ou narrativa. Como recursos técnicos utiliza-se o processo de impressão em cianotipia, o desenho e a pintura, entre outros, e como recursos expressivos, a deformação anatómica, novos enquadramentos, o acentuar dos contrastes de luz e sombra e dos planos oblíquos, coincidentes tanto na expressão plástica, fotográfica ou cinematográfica, próximos da linguagem expressionista.

MOSTRA.PUBLICAÇÃO
17 NOVEMBRO | SÁBADO | 21H00 | AUDITÓRIO MANUEL DA FONSECA
Apresentação do livro "Romeu Correia talvez Poeta" pelo historiador Alexandre Flores seguida da peça de Teatro com o mesmo nome.

MOSTRA.PONTO DE ENCONTRO
No decorrer das três semanas desta edição, o público e os artistas da Mostra são convidados a marcar encontro no café-teatro do Teatro António Assunção e a acompanhar a programação aos Sábados, após os espetáculos.

ESPAÇO DE CONVÍVIO ENTRE PÚBLICO E ARTISTAS
3 NOVEMBRO | SÁBADO | 23H30 | TEATRO-ESTÚDIO ANTÓNIO ASSUNÇÃO
TI FOLIA


Tiago Araújo, Tiago Marques e Tiago Morais, cada um com o seu instrumento prometem um espetáculo fresco onde a música, alegria e dança se misturam dando origem a bons momentos. Gaita, acordeão e percussão estarão em busca do baile perfeito...

10 NOVEMBRO | SÁBADO | 23H30 |TEATRO-ESTÚDIO ANTÓNIO ASSUNÇÃO
MAZÉI


Conjunto de canções e músicas originais em português que percorrem uma série de estilos e influências, passando, sobretudo, por Jazz, Folk, Bossa Nova, Música do Mundo, incluindo também a canção Iolá, do Cancioneiro Popular. Tocam, para além do dueto-núcleo, em várias formações, e o álbum contou com a participação de oito músicos. O álbum foi gravado nas novas instalações da Rádio Renascença, com Luís Belo Lopes e Rui Fernandes.

17 NOVEMBRO | SÁBADO | 23H30 |TEATRO-ESTÚDIO ANTÓNIO ASSUNÇÃO
CANÇÕES DE LABOR E LAZER


Ana Tomás e Ricardo Fonseca apresentam o seu mais recente trabalho “Canções de Labor e Lazer”, com melodias tradicionais e poesia popular portuguesas. As canções que compõem o álbum eram cantadas por homens e mulheres enquanto trabalhavam nos campos, em romarias e procissões, em bailes ou no singelo ato de embalar uma criança. Com arranjos de Ricardo Fonseca, cada canção ganha uma sonoridade nova, com influências de linguagens musicais várias, nunca perdendo, no entanto, a raiz portuguesa tão patente no som único das violas tradicionais por ele interpretadas. Também a voz de Ana Tomás, com formação em canto lírico, torna este álbum singular no panorama da música tradicional portuguesa.

MOSTRA.CONVERSAS
8 NOVEMBRO | QUINTA-FEIRA| após a apresentação do espetáculo “Ilha do Sumiço”
TEATRO-ESTÚDIO ANTÓNIO ASSUNÇÃO

Debate/ Conversa com Francisco Silva co-criador do espetáculo “Ilha do Sumiço”

16 NOVEMBRO | SEXTA-FEIRA | após a apresentação do espetáculo “A Minha Europa/My Europe”
AUDITÓRIO FERNANDO LOPES-GRAÇA

Debate / conversa no final do espetáculo para explorar com o público as questões abordadas no espetáculo

MOSTRA.OFICINA

Paisagens Mentais-Sensoriais da Dramaturgia
10 NOVEMBRO | SÁBADO| 15h00 | Casa da Cerca Centro de Arte Contemporânea

Um texto de teatro é uma partitura de ideias, imagens, sensações e emoções, e está sempre aberto a novas configurações através da interação com a atividade imaginativa do dramaturgista/encenador/designer/ator-performer/espectador.
Nesta oficina-colóquio abordam-se alguns procedimentos metodológicos de análise e prática dramatúrgica que podem ser aplicados a qualquer texto dramático/teatral, de forma a averiguar as suas qualidades materiais próprias, bem como as paisagens mentais e sensoriais que deles emanam.
Oficina dirigida por GRAÇA P. CORRÊA  

MOSTRA.TERTÚLIAS

Escritoras para os palcos de hoje
17 NOVEMBRO | SÁBADO | 16h00 | café-concerto do Teatro Municipal Joaquim Benite

"Em articulação com o problema da violência de género trabalhado no espectáculo A Morte nos Olhos, propomos a realização de um encontro moderado por Isabel Teles de Menezes com as escritoras Cláudia Lucas Chéu, Joana Bértholo, Luísa Costa Gomes e Sarah Adamopoulos. Julgamos oportuno ouvir testemunhos de como o tornar-se mulher influencia uma trajectória artística em Portugal, no início do século XXI. Tem uma escrita a marca do género de quem a produz? O que pode ainda o drama no teatro contemporâneo? E qual o sentido de nos fecharmos hoje numa sala às escuras a ver outras pessoas a fazer coisas?"

El Tren de las Trece (y trece) – Antonio Mauriz MartÍnez
18 NOVEMBRO | DOMINGO | após a apresentação do espetáculo O Trem das Treze (e Treze)
TEATRO-ESTÚDIO ANTÓNIO ASSUNÇÃO

Palestra sobre o texto “El Tren de las Trece (y trece)” e sobre como este encaixa na dramaturgia contemporânea. Texto premiado no Certamen Nuevos Dramaturgos LANAU Escénica.

MOSTRA.ENCERRAMENTO

AMORES DE GOMA-LACA, EPISÓDIO VII: OS DESPERTARES À FORÇA

deejaying em discos de 78 rotações, por Karas
18 NOVEMBRO | DOMINGO | 22h30 | RECREIOS DESPORTIVOS DA TRAFARIA

Dos finais do séc. XIX até à introdução do long-play em vinil em 1948, os discos de goma-laca ("shellac" em inglês, ou "pizarra" em espanhol) fizeram da música uma indústria, e imortalizaram o que até aí fora efémero: a interpretação. As gravações que definiram o jazz, o fado, o rock'nroll, o flamenco, o samba, o son, o raï, tantas outras formas da música popular e, ainda, a música clássica, foram feitas em goma-laca.
Recorrendo a "instrumentos de época", Karas vem propondo, desde 2015, estas sessões que tornam didático e prazeroso o que se pensava ser do exclusivo domínio da ficção científica: a viagem temporal. Do amplo acervo da Colecção Gabriel Orlando, uma temperada seleção de temas para pôr a Mostra de Teatro a dançar.