MTA: ÁREA IMPRENSA

ÁREA IMPRENSA

Fotografias dos espectáculos da 20ª Mostra de Teatro de Almada

AQUIa-11-2016



A CIDADE DO TEATRO
primeiro estudo sobre o teatro e as artes performativas no Concelho de Almada é lançado no próximo sábado

Pelos 20 anos da Mostra de Teatro de Almada (MTA) um livro celebra o festival de Inverno organizado anualmente pela Câmara Municipal de Almada e pelas companhias locais desde 1996 e traça a História política e social que está na sua génese. Primeiro estudo sobre o teatro e as artes performativas no Concelho, inclui um levantamento fotográfico das salas de espectáculos e outros lugares que têm acolhido as criações da grande família teatral que a Mostra integra, um vasto
conjunto de depoimentos testemunhais e faz a recensão biográfica dos cerca de cinquenta grupos de
teatro que participaram na MTA desde a sua 1.ª edição.

Acontecimento editorial relevante, com significado para a História do teatro e da edição em Portugal, o livro é prefaciado por Viriato Soromenho-Marques e conta com textos de Sarah Adamopoulos (escritora e jornalista que coordenou e dirigiu editorialmente a edição), Nuno Bernardo (um intelectual almadense que integrou o colectivo a quem Almada deve a sua primeira Escola Profissional de Música), Isabel Mões (actriz, encenadora, dramaturgista e investigadora académica em teatro), António Vitorino (escritor, poeta e editor do Poezine Debaixo do Bulcão) e Xico Braga (poeta e contista, ligado à actividade mais recente do GITT). A edição conta ainda com fotografias de Vítor Cid (fotógrafo de cena e documentarista, editor da revista Zona Magazine) e ilustrações dos artistas plásticos Rui Silvares e Luís Miranda (a que se acrescentam também desenhos da historiadora Ângela Luzia e do músico dos OqueStrada João Lima).

A impressão e acabamento da obra foi entregue à empresa gráfica Jorge Fernandes, antiga tipografia lisboeta que abriu portas no Bairro Alto por volta de 1890.

A Cidade do Teatro resulta de uma iniciativa de parceria entre o Ninho de Víboras – Associação Cultural (um dos grupos de criadores almadenses com presença na MTA desde 1996) e a Câmara Municipal de Almada.

Lançado no próximo dia 19 de Novembro, pelas 15h00, na Casa da Cerca, em Almada Velha, o livro vai ser apresentado por Isabel Bezelga, professora de Educação Artística e Teatro da Universidade de Évora e investigadora nas áreas de Teatro e Comunidade e Teatro Educação no Centro de História da Arte e Investigação Artística da Universidade de Évora e no Instituto de Estudos de Literatura e Tradição da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa.*



Comunicado de Imprensa #5 14-11-2016

20ª MOSTRA DE TEATRO DE ALMADA ENCERRA ESTA SEMANA COM 12 ESPETÁCULOS

A 20ª Mostra Teatro de Almada (MTA) termina esta semana com a apresentação de nove estreias, numa maratona de 12 espetáculos até 20 de novembro. A organização da Mostra promove, ainda, no dia 19 de novembro, na Casa da Cerca, o lançamento do livro “A Cidade do Teatro” que conta a história do teatro e das artes performativas em Almada, uma iniciativa do Ninho de Víboras com textos de Sarah Adamopoulos, Nuno Bernardo, Isabel Mões, António Vitorino e Xico Braga, fotografias de Vítor Cid e ilustrações de Rui Silvares, Luís Miranda, Ângela Luzia e João Lima.

No dia 16 de novembro, quarta, o NNT - Núcleo Novo de Teatro, premiado grupo universitário da Faculdade de Ciências e Tecnologia com 20 anos de existência, estreia “Além da Solidão” com texto e encenação de Susana Vidal. O Grito assinala os 400 anos da morte de William Shakespeare com a estreia de “Lady Macbeth não morreu” da autoria e encenação de José Vaz.

No dia 17, quinta, o Teatro ABC.PI estreia “À Luz” a partir do Livro de Rute, um espetáculo que celebra a vida e a força da superação. O Grito em coprodução com o EspaçoZero Teatro de Tomar estreia “Descompor o Ramalhete”, uma criação de João Vasco Henriques e Sandro Ferreira numa coletânea de poesia portuguesa para maiores de 18 anos.

Nos dias 18 e 19, o Alpha Teatro apresenta a sua mais recente criação para a toda a família “Rainha de Copas”, a partir de um texto de Ana Neves inspirado em Alice no País das Maravilhas de Lewis Carroll. Ainda no dia 18, sexta, Crème de la Crème estreia “2º Esquerdo – um tecto para dois mundos”, encenação de Hugo Gama de um texto coletivo com base em situações vividas numa Lisboa dos anos 90.

No dia 19, sábado, o Teatro & Teatro de O Mundo do Espectáculo estreia “Morte e Vida Severina” de João Cabral Neto com encenação de Manuel João, espetáculo que recupera o sentido positivo da vida dos refugiados e dos perseguidos, e Artes e Engenhos levam à cena “O Declive e a Inclinação” de Alexandre Pieroni Calado e João Ferro Martins, inspirado no mito de Sísifo. Após os espetáculos, o espaço de convívio com entrada livre Mostra.Ponto de Encontro é ao som da música celta dos Ostara.

Domingo, 20 de novembro, o programa de encerramento da 20ª edição da Mostra de Teatro de Almada contempla quatro propostas consecutivas. O GITT – Grupo de Iniciação Teatral, fundado em Almada há mais de 40 anos, estreia uma adaptação de “O Gato” de Henrique Santana, comédia para maiores de 6 anos com encenação de Vítor Mio. Os jovens alunos do Grupo de Teatro da Academia Almadense estreiam “Retrato por alto”, uma criação coletiva sobre o tema da família com encenação de Cláudia Negrão. A comemorar os 480 anos da morte de Gil Vicente, o Teatro na Gandaia estreia “O Pranto de Maria Parda”, numa adaptação de Margarida Leal e Rui Silvares com encenação de Ana Nave. O Teatro Extremo encerra o evento com uma reposição revisitada da peça “Retratos”, criação coletiva com coordenação de Fernando Jorge Lopes que conta com a participação da hilariante Família Barata e os seus misteriosos convidados.
A 20ª edição da Mostra de Teatro de Almada, organizada desde 1996 pela Câmara Municipal de Almada em conjunto com os grupos de teatro do concelho decorre até 20 de novembro em diversos palcos do concelho de Almada, no Cineteatro da Academia Almadense, Alpha Teatro, Auditório Fernando Lopes-Graça, Teatro Municipal Joaquim Benite, Recreios Desportivos da Trafaria, Auditório da Costa da Caparica e Teatro-Estúdio António Assunção.



Comunicado de Imprensa #4 08-11-2016

20ª MOSTRA DE TEATRO DE ALMADA CONTINUA COM ESTREIAS ATÉ 20 DE NOVEMBRO

Seis estreias marcam a programação da segunda semana da 20ª Mostra de Teatro de Almada (MTA). Dia 11 de novembro, sexta, a Lagarto Amarelo leva à cena “Três máscaras” de José Régio, numa encenação de João Ferrador e interpretação de Cláudia Negrão, Tomás Curveira e Ruben Dias. A OTA - Oficina de Teatro de Almada apresenta “Abrigo? Pois…” a partir de textos de Mário-Henrique Leiria, David Lodge, Anton Tchekov, entre outros autores, com encenação e interpretação de Fernando Rebelo e Isabel Leitão. Sábado, dia 12, O Outro Lado traz ao palco “A Dúvida”, uma encenação de Fátima Borges da peça de John Patrick Shanley que nos situa no Bairro de Bronx de Nova York, em 1964. Domingo, dia 13, Sandra Hung interpreta um novo espetáculo de Artes e Engenhos “A melodia áspera de um deserto”, inédito coletivo com encenação de Tiago Vieira, o Ninho de Víboras estreia “Inauguração” de Václav Havel, encenado por Cristina Gonçalves e interpretado pela própria, Joaquim Pedroso e Paulo Diegues.

Para quem ainda não viu, no dia 12, os Actos Urbanos, uma produção de Teatro de Areia de O Mundo do Espectáculo mostram o seu mais recente espetáculo, “A arte da fuga”, uma criação coletiva com direção de Joana Sabala e conceção dramatúrgica de Sarah Adamopoulos. No dia 13, o Grupo de Teatro da USALMA, Universidade Sénior de Almada apresenta uma comédia que nos remete para a década de 20, em Lisboa, “A Srª. Ministra” de Eduardo Shwallbach Lucci, numa adaptação e encenação de Ana Maré.
Ao logo da semana há, também, espetáculos para os mais novos. A 9 de novembro, “Reverso” pelas Produções Acidentais, uma criação da atriz Luzia Paramés e do músico Sandro Esperança que recorre à poesia de Alexandre Dale, autor duplamente galardoado com o Prémio Literário Cidade de Almada. Dias 10, 11 e 12, Marina Nabais Dança, Associação Cultural estreia “Corpo – Mapa – Livro”, uma peça que desarruma a Biblioteca e convoca à leitura através do movimento. No dia 13, o Cénico da Incrível propõe divertir a assistência com “Carlos, o coelho maldisposto”, uma peça com um vasto elenco, da autoria de Alberto Oliveira e Eugénia Conceição.

A organização promove, ainda, espaços de encontro e partilha entre artistas e público com entrada gratuita. Sábado, 12 de novembro, há concerto de estreia de Vem Veneno, uma banda formada por jovens músicos de Almada. Domingo, dia 13, há debate sobre o tema das novas linguagens nas artes performativa com a participação dos criadores João Garcia Miguel, John Romão, Miguel Moreira, Alexandre Pieroni Calado e Martim Pedroso.
A Mostra de Teatro de Almada (MTA), organização conjunta da Câmara Municipal de Almada e Grupos de Teatro, continua até 20 de Novembro em diversas salas do concelho, com um programa que inclui mais estreias e o lançamento do livro “A Cidade do Teatro”, uma iniciativa do Ninho de Víboras para celebrar o 20º aniversário deste evento, com textos de Sarah Adamopoulos, Nuno Bernardo, Isabel Mões, António Vitorino e Xico Braga, fotografias de Vítor Cid e ilustrações de Rui Silvares, Luís Miranda, Ângela Luzia e João Lima.

Até ao final desta edição comemorativa, o público da Mostra poderá ainda assistir aos espetáculos de NNT – Novo Núcleo de Teatro, O Grito, Teatro ABC.PI, Alpha Teatro, Crème de la Crème, Teatro & Teatro, Artes e Engenhos, GITT, Grupo de Teatro da Academia Almadense, Teatro na Gandaia e Teatro Extremo.


Comunicado de Imprensa #3 29-10-2016                             

20ª MOSTRA DE TEATRO DE ALMADA ARRANCA A 5 DE NOVEMBRO

A 20ª Mostra de Teatro de Almada (MTA) arranca em festa já no próximo dia 5 de novembro, sábado, com o desfile de 22 grupos de teatro que participam nesta edição comemorativa, sob a direção artística do músico Tiago Pereira. A partir das 16h, os grupos desfilam pelo centro de Almada, cruzando-se com as Bandas Filarmónicas da Academia Almadense e Incrível Almadense na Rua Capitão Leitão, com destino ao Teatro-Estúdio António Assunção (TEAA) para a abertura oficial do evento às 17h, assinalada pela inauguração de uma exposição coletiva, a que se segue umahomenagem a Vítor Azevedo, ator e encenador ligado ao grupo de teatro mais antigo do concelho, o GITT da Trafaria.

O programa da noite passa pelo Salão de Festas da Incrível Almadense, local onde a Mostra começou em 1996. Às 21h, o Cénico da Incrível Almadense estreia um texto inédito de Pedro Magalhães, “O Escritor que não lia Livros”, numa encenação do próprio e de Eugénia Conceição. Após o espetáculo, às 23h30, o público é convidado para o primeiro Mostra.Ponto de Encontro no TEAA ao som de um concerto do novo projeto de João Lima e João Dacosta.

O debate sob o tema contributo para estratégias de desenvolvimento, no contexto das artes performativas, realiza-se a 6 de novembro, às 18h, no TEAA, moderado pela atriz Luzia Paramés, com convidados como Rodrigo Francisco da Companhia de Teatro de Almada e Fernando Rebelo da OTA – Oficina de Teatro de Almada.

Dedicado aos mais novos, Domingo, 6 de novembro, no Auditório Fernando Lopes-Graça, estreia “O Feiticeiro de Oz” pela Companhia de Teatro Musical da Plateias d'Arte, inspirado na obra de Frank L. Baum, numa adaptação e encenação de Diogo Novo. As Produções Acidentais apresentam a 9 de novembro “Reverso”, espetáculo que recorre à música e poesia de Alexandre Dale, Prémio Literário Cidade de Almada. Dias 10, 11 e 12, Marina Nabais Dança, Associação Cultural mostra na Biblioteca da Trafaria “Corpo – Mapa – Livro”, a estreia de uma peça que desarruma a Biblioteca e convoca à leitura através do movimento.

A MTA prossegue até 20 de novembro com três semanas de espetáculos em dez espaços do concelho de Almada, mais um debate no dia 13 sob o tema das novas linguagens nas artes performativa com João Garcia Miguel e Carlos Pessoa, entre outros, e o lançamento da publicação comemorativa deste 20º aniversário no dia 19, na Casa da Cerca – Centro de Arte Contemporânea. Todos os sábados há Mostra.Ponto de Encontro no TEAA com música ao vivo e espaço para convívio entre o público e os grupos.



Comunicado de Imprensa #2 24-10-2016

MOSTRA DE TEATRO DE ALMADA CELEBRA 20 ANOS EM NOVEMBRO

Entre 5 e 20 de novembro, a Mostra de Teatro de Almada (MTA) celebra 20 anos com um programa repleto de espetáculos para todas as idades e a publicação de um livro retrospetivo, para além dos habituais espaços de debate e de encontro entre o público e participantes. Este é um evento ímpar que promove a produção teatral em Almada, organizado desde 1996 pelas companhias e grupos de teatro locais em conjunto com a Câmara Municipal.

Mais de duas dezenas de grupos de teatro de Almada apresentam espetáculos, na sua maioria em estreia, em que se destacam originais e inéditos da dramaturgia de autores de Almada, mas, também, textos inspirados na obra de Gil Vivente, Henrique Santana, José Régio, Eduardo Schwalbach Lucci, Václav Havel, Lewis Carrol, L. Frank Baum ou William Shakespeare. Encenações de Ana Nave, Luzia Paramés, Cláudia Negrão, Laurinda Chiungue, Susana Vidal, Alexandre Pieroni Calado ou Marina Nabais, são apenas alguns exemplos da diversidade de propostas artísticas desta edição especial da MTA.

Para assinalar os 20 anos, a programação da Mostra contempla, ainda, ao longo de três semanas, um conjunto de atividades paralelas: a inauguração de uma Exposição coletiva dos participantes de 2016; uma Homenagem a Vitor Azevedo, ator e encenador ligado ao grupo de teatro mais antigo de Almada, o GITT, envolvido na organização e participante da MTA desde a 1ª edição; concertos ao Sábado, após os espetáculos; debates sob o tema “Artes Performativas: ontem, hoje a amanhã” onde marcam presença Rodrigo Francisco, João Garcia Miguel, John Romão, Miguel Moreira e Carlos Pessoa, entre outros criadores convidados.

A 20ª edição da MTA realiza-se em dez palcos no concelho, passando por equipamentos municipais como o Teatro-Estúdio António Assunção, o Auditório Fernando Lopes-Graça, o Teatro Municipal Joaquim Benite e a Casa da Cerca, em instalações de Juntas de Freguesia - Biblioteca da Trafaria e sede do Alpha Teatro no Feijó - e nos espaços de associações e coletividades, como a Incrível Almadense, o Cineteatro da Academia Almadense, Recreios Desportivos da Trafaria e Auditório Costa da Caparica.

O acesso ao evento mantém-se bastante acessível com os bilhetes para os espetáculos a custarem cinco euros com desconto para jovens, seniores e grupos. Todas as atividades paralelas são de entrada livre.

A Mostra de Teatro de Almada comemora 20 anos com a participação de Alpha Teatro, Actos Urbanos/Teatro de Areia e Teatro & Teatro de O Mundo do Espectáculo, Artes e Engenhos, Cénico da Incrível Almadense, Crème de la Crème, Companhia de Teatro Musical da Plateias D’Arte, GITT - Grupo de Iniciação Teatral da Trafaria, Grupo de Teatro da Academia Almadense, Grupo de Teatro da Associação Cultural Manuel da Fonseca, Grupo de Teatro da USALMA, A Largarto Amarelo - Associação Cultural, Marina Nabais Dança Associação Cultural, Ninho de Víboras, NNT - Novo Núcleo de Teatro, Associação Cultural - O Outro Lado, O Grito, OTA - Oficina de Teatro de Almada, Produções Acidentais, Teatro ABC.PI, Teatro Extremo e Teatro na Gandaia.



Comunicado de Imprensa #1 07-10-2016                                     

MOSTRA DE TEATRO DE ALMADA CELEBRA 20 ANOS

A Mostra de Teatro de Almada (MTA) celebra 20 anos em novembro, com a publicação de um livro retrospetivo e um programa repleto de espetáculos para todas as idades, para além dos habituais espaços de debate e de encontro entre o público e participantes deste evento já histórico que anualmente mostra a sua vitalidade.


Entre 5 e 20 de novembro, a 20ª edição da MTA realiza-se em diversos palcos do concelho de Almada, em equipamentos municipais como o Teatro-Estúdio António Assunção, o Auditório Fernando Lopes-Graça, o Teatro Municipal Joaquim Benite e em espaços de associações e coletividades, como a Incrível Almadense, o Cineteatro da Academia Almadense, o Auditório Pluricoop da Associação Cultural Manuel da Fonseca, Recreios Desportivos da Trafaria e Auditório Costa da Caparica.

Mais de duas dezenas de grupos de teatro de Almada apresentam neste certame espetáculos, na sua maioria em estreia, em que se destacam originais e inéditos da dramaturgia contemporânea de autores e encenadores de Almada, mas, também, textos inspirados na obra de Gil Vivente, Henrique Santana, José Régio, Václav Havel, Lewis Carrol, L. Frank Baum ou William Shakespeare. 

Organizada pela Câmara Municipal de Almada em conjunto com os grupos de teatro desde 1996, a Mostra de Teatro de Almada comemora 20 anos com a participação de Alpha Teatro, Actos Urbanos/Teatro de Areia e Teatro & Teatro de O Mundo do Espectáculo, Artes e Engenhos, Cénico da Incrível Almadense, Crème de la Crème, Companhia de Teatro Musical da Plateias D’Arte, GITT - Grupo de Iniciação Teatral da Trafaria, Grupo de Teatro da Academia Almadense, Grupo de Teatro da Associação Cultural Manuel da Fonseca, Grupo de Teatro da USALMA, A Largarto Amarelo - Associação Cultural, Marina Nabais Dança Associação Cultural, Ninho de Víboras, NNT - Novo Núcleo de Teatro, Associação Cultural - O Outro Lado, O Grito, OTA - Oficina de Teatro de Almada, Produções Acidentais, Teatro ABC.PI, Teatro Extremo e Teatro na Gandaia.